Ciência dá Samba!

Os desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, na Marques de Sapucaí, são o centro de uma das festas mais espetaculares do mundo. Em fevereiro, a Passarela do Samba torna-se o palco onde fantasias, alegorias e sambas-enredo contam histórias e encantam o público nas arquibancadas, pela televisão ou internet. Mas o que o Carnaval tem a ver com ciência e tecnologia? É nesse clima de folia que a Casa da Ciência da UFRJ preparou uma Linha do Tempo, com enredos sobre temas científicos, apresentados na Avenida, entre 2004 e 2011, para mostrar que ciência dá samba, arte e fantasia!

  1. O sonho da criação e a criação do sonho: a arte da ciência no tempo do impossível

    G.R.E.S. Unidos da Tijuca | 2004

    Carro do DNA

    Alegoria “Criação da Vida”, foto: Fatima Brito (Casa da Ciência)

    A Unidos da Tijuca uniu arte e ciência na Passarela do Samba, em 2004, com um enredo desenvolvido pelo carnavalesco Paulo Barros, em parceria com a Casa da Ciência da UFRJ. A Escola conduziu por uma incrível viagem pelo passado, presente e futuro, para mostrar grandes descobertas e inventos que marcaram a história da humanidade, mas que já foram considerados sonhos impossíveis. O desfile mostrou que a extraordinária capacidade criadora do homem pode superar desafios científicos e tecnológicos e ultrapassar os limites do corpo, da gravidade, da distância e do tempo.

  2. A cana que aqui se planta tudo dá, até energia... Álcool, o combustível do futuro

    G.R.E.S. Salgueiro | 2004

    Salgueiro 2004

    Alegoria, foto: Liesa

    Em 2004, o enredo do Salgueiro apresentou o álcool como o combustível do futuro. A Escola abordou a crise do petróleo nos anos 1970 e a possibilidade de energia “limpa”, a partir da cana-de-açúcar. O desfile exaltou o Brasil, destacando o percurso histórico do álcool como fonte de energia a partir da literatura informativa, tendo como ponto de partida a Carta de Pero Vaz de Caminha.

  3. Mangueira energiza a Avenida. Carnaval é pura energia e a energia é o nosso desafio

    G.R.E.S. Mangueira | 2005

    Mangueira 2005

    Alegoria, foto: Liesa

    O que é energia? Esse foi o ponto de partida do enredo da Mangueira, em 2005, para falar sobre as fontes de energia e sua história; o carvão, a eletricidade, o petróleo, as energias renováveis, a energia nuclear e outros recursos foram abordados. A Escola destacou a importância da consciência ecológica e social no mundo, com o avanço da tecnologia.

  4. Microcosmos – o que os olhos não veem, o coração sente

    G.R.E.S. Salgueiro | 2006

    Salgueiro 2006

    Alegoria, foto: Liesa

    Em 2006, o enredo do Salgueiro teve como inspiração os microcosmos existentes nos fenômenos naturais e nas criações humanas, mostrando que a magnitude da vida é formada por pequenos universos que coexistem e têm importância vital para a manutenção do equilíbrio no planeta.

  5. Metamorfoses: do reino natural à corte popular do Carnaval – as transformações da vida

    G.R.E.S. Unidos de Vila Isabel | 2007

    Vila Isabel 2007

    Abre-Alas, foto: Claudio Lara

    O enredo sobre metamorfose, apresentado pela Vila Isabel, em 2007, teve uma abordagem científica, histórica e cultural, inspirando-se nas constantes transformações vividas pelos seres humanos e pela natureza. O fio condutor foi o trabalho do naturalista inglês Charles Darwin, que buscou decifrar o mundo natural para compreender a origem e as transformações sofridas pelas espécies ao longo do tempo.

  6. Do verde de Coari, vem meu gás, Sapucaí!

    G.R.E.S. Acadêmicos do Grande Rio | 2008

    Acadêmicos do Grande Rio 2006

    Abre-Alas, foto: A.F. Rodrigues

    Em 2008, o enredo da Grande Rio foi sobre o gás e o petróleo que vêm da floresta amazônica, principalmente da região de Coari, considerada um dos maiores lençóis de gás natural do mundo, e destacou a importância da preservação desse ecossistema. O desfile mostrou a importância dos gases e de outros elementos na formação da vida no planeta, os combustíveis naturais e as novas tecnologias.

  7. Tijuca 2009: uma odisseia sobre o espaço

    G.R.E.S. Unidos da Tijuca | 2009

    Unidos da Tijuca 2009

    Alegoria, foto: Liesa

    Em 2009, o desfile da Unidos da Tijuca embarcou em uma viagem sobre o espaço, mostrando o eterno fascínio do homem pelo céu e o Universo, suas indagações e as descobertas da ciência. A Escola apresentou diversas visões sobre o espaço sideral , presentes na imaginação, na mitologia e na história da astronomia.

  8. Derrubando fronteiras, conquistando liberdade... Rio de paz em estado de graça!

    G.R.E.S. Portela | 2010

    Portela | 2010

    Abre-Alas, foto: Ricardo Almeida

    A inclusão social por meio do acesso às novas tecnologias de informação foi o tema do enredo da Portela em 2010. O desfile apresentou a Internet e suas múltiplas utilizações como importantes ferramentas para a melhoria da qualidade de vida e do conhecimento em várias áreas, tais como: inclusão, democracia, cultura, arte, sustentabilidade, comunicação, educação, saúde, desenvolvimento e paz.

  9. A Imperatriz adverte: sambar faz bem à saúde

    G.R.E.S. Imperatriz Leopoldinense | 2011

    Imperatriz Leopoldinense 2011

    Logo do enredo

    No Carnaval de 2011, a Imperatriz Leopoldinense passeou pela história da medicina, desde sua origem e evolução até o recente mapeamento do DNA, passando por diversas civilizações. A arte e a ciência de salvar vidas foram homenageadas na Sapucaí, além da referência a importantes cientistas brasileiros, como Oswaldo Cruz, Carlos Chagas, Vital Brazil e Ivo Pitanguy.

  10. O mistério da vida

    G.R.E.S. União da Ilha do Governador | 2011

    União da Ilha do Governador 2011

    Abre-Alas, foto: Marcelo Poloni

    Em 2011, a União da Ilha do Governador fez uma viagem no tempo para falar da origem da vida e da evolução das espécies. O desfile relembrou a expedição do naturalista inglês Charles Darwin, a bordo do navio Beagle, que deu a volta ao mundo para mapear a costa da América do Sul e passou pelas cidades de Salvador e Rio de Janeiro. O enredo homenageou os 150 anos do livro A Origem das Espécies, que causou uma verdadeira revolução com a teoria da evolução, por meio da seleção natural.

    Fonte: Liesa